zondag 8 januari 2006

toekomst (futuro)

os dias passam sem grande pressa. a rotina ficou a mesma. sempre o mesmo manha-noite. tomo duche sempre pela mesma ordem, cabelo, corpo, pes. seco primeiro as costas. demoro sempre o mesmo tempo a lavar os dentes. sempre o mesmo.

os fins de semana sem planos e no fim mal aproveitados. ou melhor os planos ajustam-se ao momento. entro na loja a procura de uma maquina de secar roupa e saio com um flatscreen tamanho miniatura la para o quarto quando nao aguento mais de cinco minutos deitada a frente de um ecra.

impulso, sou/somos muito de impulsos. tudo o que faco e por impulsos. ate hoje nunca me arrependi, tirando algumas pecas de roupa no armario. a culpa e das luzes que nos fazem diferentes nas lojas. nao sou muito de pensar nas consequencias. vou andando.

um destes dias tentei escrever uma carta para mim propria no futuro. eu sei la... sempre detestei aquelas perguntas em entrevistas, onde e que te ves daqui a cinco anos?. eu quero e ver-me daqui a um mes e garantir que pago as contas, a hipoteca, a creche dos miudos e me sobra para a comida. acho que perguntas destas estao para empregos mediocres para nao usar outra palavra comecada por m. da ultima vez era para um desses, um predio cinzento a cheirar a mofo. comecaram com a treta das qualidades e dos defeitos de caneta na mao, respondi que nao entrava no esquema que nao estava para ali virada, em pensamento, debitei as frases estudadas, sai irritada e foi ali que decidi que nao queria ser mais funcionaria publica.

olhando para tras muito muda em cinco anos. um curso, um casamento, duas mudancas, uma mudanca de pais, mais uma mudanca, uma casa comprada, quatro empregos, dois filhos e muitas imaterialidades que nao sei quantificar. a piada e nao saber o que vai acontecer, por isso a carta do futuro passo. um dia deste venho aqui relatar a minha relacao com a maquina de lavar.

10 opmerkingen:

  1. Que engraçado, eu estou ao contrário. Os planos para depois dos exames irritam-me, eu queria era ver-me daqui a 2 anos, quais dois meses... É o síndrome do "depois é que é", eu bem sei que a vida é agora. :)
    (Afinal o teu painel de vidro - ou qualquer quadro magnético - é enorme para o meu T1 de cozinha embutida. Fiquei cheia de pena...)
    Beijinhos!

    BeantwoordenVerwijderen
  2. O mundo ao contrário8 jan. 2006 13:32:00

    vi o teu coment. eu nao me importo nada de ter roupa usada desde que esteja boa, alem disso a roupa de gravida usamos tao poucas vezes... se quiseres mandar-me as fotos ou a roupa ( eu pago-te os portes) . eu visto o 40 , achas que me serve???
    beijos e obrigada

    BeantwoordenVerwijderen
  3. identifico-me completamente com teu post:-)

    BeantwoordenVerwijderen
  4. Pois, sinceramente tambem prefiro viver o presente...

    BeantwoordenVerwijderen
  5. it´s the little things in life. I loved this post Sonia.
    bjs

    BeantwoordenVerwijderen
  6. Tenho vindo a aprender a apreciar mais o dia-a-dia, e a deixar de pensar permanentemente no futuro.

    Com esta gravidez (que provavelmente será a última) e com a percepção do crescimento (tão rápido) da minha filhota, o aproveitar do dia tornou-se ainda mais urgente!

    Beijocas!

    BeantwoordenVerwijderen
  7. eu penso muito no futuro.
    Que gostaria de fazer isto ou aquilo ou ir ali ou aculá. muitas das vezes os planos saem furados...
    Eu tb sou muito de impulsos. dizem que é do signo.
    és carneiro?!?
    a culpa é sempre do signo...hehe

    BeantwoordenVerwijderen
  8. ola sonia. espero q esteja tudo bem ctg depois desta explosao em utrecht... credo, aquilo n e´nada longe de minha casa... beijinhos

    BeantwoordenVerwijderen
  9. Quem me dera uma mudança assim, grande... de país... mas levar comigo o maridinho que é muito lindo!!! Mas que seja um país assim para o moderno!!! risos
    Beijinhos, muitos, muitos

    BeantwoordenVerwijderen